x

Processando...

Portal do Governo do Estado de São Paulo

Planeje sua aposentadoria

  • Imprimir Imprimir
  • Compartilhar Compartilhar
Por que preciso planejar a minha aposentadoria?

A resposta é simples: para manter o seu padrão de vida e realizar os seus sonhos quando parar de trabalhar. Vamos entender isso um pouco melhor?


A previdência básica (INSS) e o Regime Próprio (SPPREV - no caso dos servidores que ingressaram a partir de 21/01/2013, veja as datas completas aqui) pagam uma renda máxima de R$ R$ 5.531,31 por mês. Isso significa que se a sua renda mensal é superior a este valor, você somente conseguirá manter o seu padrão de vida atual e realizar os seus projetos ao se aposentar se tiver um plano de previdência complementar.


Se a sua renda mensal é inferior a este valor, o seu poder aquisitivo também sofrerá uma queda, mas será menor, como demonstra o gráfico acima. Por isso, a previdência complementar também será útil para que você possa garantir a segurança financeira do seu futuro.


Quando devo começar?

O ideal é poupar para a aposentadoria quando começamos a trabalhar. Isso porque quanto mais cedo investimos, menor será o aporte necessário para conseguir concretizar o nosso projeto de vida no período de aposentadoria. Se este não é o seu caso, não se desespere, nunca é tarde para começar, só é preciso planejamento. Aportes iniciais e contribuições mais elevadas podem compensar o atraso. Lembre-se sempre, se não poupar em previdência complementar, terá a sua aposentadoria limitada ao teto da previdência básica que hoje é de R$ 5.531,31.
Veja um exemplo:


Maurício e Alice são servidores públicos do Estado de São Paulo
e recebem um salário de R$ 10 mil.

Eles fizeram um plano na PREVCOM e contribuem
com 7,5% dos salários de participação, tendo 7,5% do Estado.

Ambos vão se aposentar com 65 anos e querem receber a aposentadoria durante 15 anos.

MaurícioAlice
Idade quando aderiu à PREVCOM25 anos50 anos
Valor da contribuição mensalR$ 400,22R$ 400,22
Tempo de contribuição40 anos15 anos
Valor acumulado na PREVCOMR$ 1.559.224,82R$ 243.704,66
Benefícios de aposentadoria que irá receber por mês (Previdência básica + PREVCOM)R$ 16.854,32R$ 6.569,12
Percentual do benefício x último salário114%57%
Salário previsto na aposentadoriaR$ 14.741,23R$ 11.494,74

Como definir o meu projeto de vida?

Todos somos movidos por nossos sonhos e projetos. Eles nos motivam e nos dão esperança. Conseguimos concretizar alguns ao longo da nossa vida de trabalho e esperamos concretizar outros no momento da aposentadoria.


Já vimos que as pessoas estão vivendo mais e melhor. Cabe a cada um de nós definir o estilo de vida que queremos ter nos anos que vamos viver aposentados. Siga o nosso roteiro em direção à realização do seu projeto de vida.


1) Até quando quero trabalhar?

No Brasil é possível se aposentar por idade ou tempo de contribuição. A idade prevista para a aposentadoria pelo Regime Geral da Previdência Social (RGPS) depende da sua categoria. Por exemplo, para o trabalhador urbano é a partir de 65 anos para homens e de 60 para mulheres. É preciso analisar o seu perfil e definir uma idade mesmo que seja uma hipótese.

Leia também o conteúdo do Conta Comigo sobre a Previdência no Brasil

2) O que vou fazer depois que me aposentar?

É preciso definir como você quer viver e quais projetos de vida você pretende realizar. Quer manter o padrão de vida atual e ter tempo para a família? Faz planos de realizar uma viagem longa a cada dois anos? Pretende fazer um curso e se dedicar a uma nova profissão? Enfim, é preciso delimitar um objetivo da forma mais detalhada possível, mesmo que ele mude com o passar dos anos. Não se esqueça de colocá-lo no papel.


3) Quanto vou receber da previdência básica?

O sistema de Previdência Social, tanto o Regime Geral como o Regime Próprio (para servidores em exercício a partir de 21/01/13, veja as datas completas aqui) paga no máximo R$ 5.531,31 por mês, dependendo, entre outros, do seu último salário e do tempo de contribuição. Se você está vinculado ao Regime Geral de Previdência Social, você poderá descobrir quanto receberá do INSS fazendo uma simulação no site do Ministério da Previdência Social. Se você é servidor titular de cargo efetivo do Estado de São Paulo, em exercício a partir de 21/01/13 e tem renda superior ao atual teto pago pela previdência básica, já sabe que vai receber da SPPREV no máximo R$ 5.531,31.


4) De quanto dinheiro vou precisar para completar o que preciso?

Tendo claro o objetivo que você quer alcançar e o montante que você receberá da previdência básica, agora é preciso definir qual será o investimento para a realização deste objetivo.
Veja os exemplos:


A) Você quer manter o seu padrão de vida atual

Para calcular as suas despesas na aposentadoria é preciso ter em mente que algumas despesas aumentam e outras diminuem. Aumentam: assistência médica, lazer, benefícios que eram concedidos pela empresa, entre outros. Diminuem: filhos, casa, plano de previdência, transporte e roupas. Estudos em diferentes países mostram que, na média, as pessoas gastam na aposentadoria 80% do seu último salário.


Assim, se o seu último salário for de R$ 8 mil, você precisará de R$ 6.400 mensais (80%) para manter o seu padrão de vida. Considerando que receberá R$ 5.531,31 da previdência básica, vão faltar R$ 868,69 por mês. Se imaginar que vai se aposentar com 60 anos e viverá até os 80 anos (20 anos), precisará de R$ 208.485,60 (juros zero) para complementar a renda e manter o seu padrão de vida atual.


Para chegar a este valor, basta multiplicar o valor de R$ 868,69 por mês por 12 para chegar ao valor anual de R$ 10.424,28 e multiplicá-lo por 20 (nº de anos que você pretende utilizar o dinheiro).

B) O mundo será pequeno para você

Se você quiser realizar uma viagem longa a cada dois anos, os primeiros passos são definir os destinos, a duração e estimar os custos. Vamos imaginar que você queira visitar China, França, Estados Unidos, Austrália e Itália, e que cada viagem dure um mês. O custo varia muito de acordo com o que você quer fazer no país e do tipo de hospedagem. Supondo que cada uma custará R$ 25 mil (incluindo a inflação acumulada) e que você fará cinco viagens, o custo total deste projeto de vida será de R$ 125 mil e o custo mensal será de R$520,83.


Se preferir manter o padrão de vida e viajar, o custo total será de R$ 333.425,60 e o mensal será de R$ 1.389,27. Não se assuste! Este benefício complementar mensal pode ser atingido por um servidor do Estado de São Paulo participante da SP-PREVCOM com uma contribuição mensal de R$ 185,15 (se começar com 37 anos, salário de R$ 8 mil, considerando 7,5% de contribuição do Estado e 7,5% de contribuição do participante).


5) Consigo em quanto tempo?

Agora que você já sabe quanto custa o seu projeto de vida na aposentadoria, é preciso calcular quanto tempo você tem para conseguir acumular este capital. Esta conta é bem simples:

Idade prevista pra aposentadoria60 anos
- Idade atual35 anos
Resultado30 anos para poupar e investir.

6) E como faço?

A melhor forma é fazer o dinheiro trabalhar para você. Faça uma poupança mensal durante os anos de trabalho que tem pela frente e invista em um plano que gere rendimentos. Há diversas opções (poupança, CDB, títulos do tesouro, previdência complementar, etc.) mas a mais segura e rentável para o servidor público do Estado de São Paulo é fazer um plano de previdência complementar na SP-PREVCOM


7) Batendo as minhas metas

Para ter sucesso é fundamental estabelecer etapas intermediárias ou metas, úteis para verificar o percurso já caminhado e, se necessário, reavaliar e direcionar melhor o seu investimento. Como a realização do projeto de vida pode levar um tempo longo, é muito importante que você comemore as metas alcançadas para não desanimar ou desviar-se do foco. Pode, por exemplo, estabelecer que, a cada R$ 25 mil poupados, poderá fazer uma viagem curta com a família.


Sempre corremos riscos

Planejamos a nossa aposentadoria com a expectativa de que conseguiremos chegar lá sãos e salvos mas, infelizmente, somente 60% das pessoas conseguem isso. Todos estamos expostos a eventualidades que podem ter grandes impactos emocionais e financeiros na nossa vida e na de nossas famílias. Chamamos essas eventualidades de risco. Por isso, é preciso estar preparado e amparado em todos os momentos.


Já imaginou como ficaria a sua vida financeira se sofresse um acidente e não fosse mais capaz de trabalhar? E que tipo de vida financeira sua família teria se você não estivesse mais lá? Os seus filhos conseguiriam realizar os sonhos deles? Se ainda não se fez estas perguntas, está na hora de começar a refletir sobre elas. Todos nós estamos expostos aos riscos de invalidez e de morte. É impossível prever se acontecerá, mas se sim, o impacto financeiro na vida da sua família é uma certeza.


É para proteger você da ocorrência destes riscos que existem os chamados benefícios de risco. A Previdência Social oferece cobertura para alguns, como é o caso da invalidez, porém, o valor da aposentadoria paga neste caso corresponde à média dos 80% maiores salários de contribuição ao INSS*. Será que isto seria suficiente para você? Pensando nisso, foram criados os benefícios de risco oferecidos pelas Entidades Fechadas de Previdência Complementar.
Veja como funcionam os mais comuns:


Aposentadoria por invalidez

Ao contratar o benefício de aposentadoria por invalidez, o participante do plano de previdência complementar fica prevenido contra um acidente ou uma doença que o incapacite total e permanentemente para o trabalho. Será essa cobertura que o ajudará a manter a sua renda.


Pecúlio por invalidez

No caso do participante sofrer um acidente ou uma doença que o incapacite total e permanentemente para o trabalho é realizado pela seguradora um aporte referente ao valor contratado. Essa quantia é repassada ao participante em um montante único.


Pensão por morte

No caso de morte do participante, é realizado pela seguradora um aporte correspondente ao valor contratado que proporciona um benefício de renda mensal não vitalícia a todos os seus beneficiários.


Pecúlio por morte

No caso de morte do participante ou do assistido, é realizado pela seguradora um aporte referente ao valor contratado. Essa quantia é repassada aos beneficiários em um montante único.


* As condições de recebimento do benefício dependem da data de inscrição no INSS. Para mais informações consulte o site do Ministério da Previdência Social.


Para saber sobre os benefícios de risco na SP-PREVCOM, clique aqui.